eu não sei ser o projeto poeta-romântico do século XXI, eu falo o que eu quiser e calo quando quiser e grito quando quiser e quero quando quiser. eu mando (ou tento, na maior parte do dia, na noite desmorono)
s

Meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim.

Não chorei, não gritei, não fiquei chateado, não bati pé. Pra que fazer tanto barulho? Que vá, nunca me pertenceu.

—    Caio Augusto Leite.